e todo caminho deu no mar

e todo caminho deu no mar
"lâmpada para os meus pés é a tua palavra"

domingo, 6 de junho de 2010

Ca-fé



Sol na padaria. Desfruto do pequeno luxo que é tomar café no balcão, mudo ou dialogando, com ou sem açúcar. Começo encarando a caixa de sotaque nordestino, de quem fico amiguinho de infância, fácil fácil...

Escolher o local do balcão – espaço é poder – define quem terei ao lado. A degustação do café e do pãozinho na chapa tem muito a ver com o local no qual eles - o café, o suco, o pão - serão devorados com renovado desejo matinal.

Da caixa já sei naturalidade e estado civil. Acertei ao sentar no local próximo à pia (há um espaço vazio ao lado). E agora o principal: serei servido pela moça grávida, curva cheia de pulsações ou pelo homem reto que narra a história da pele?
.
Saboreio como rei uma média deste alimento que contém a fé no próprio nome. Por isso não falha. Na cabeça, um samba de Cartola que diz "ninguém acerta sem primeiro errar", e uma frase de Clarice: "Perdão é um atributo da matéria viva". Perdoa, vai!

8 comentários:

Vania disse...

Nonato, que delicia ler o seu café da manhã cheio de pormenores. Esse seu olhar me tras encantamento, always.

Alexandra Moraes disse...

Nossa, onde fica esse balcão?

tete bezerra disse...

Nonatinho,sinto falta dos seus textos pessoais,quando me deparo com um fico em festa.Nem preciso dizer que adorei....

Anônimo disse...

Vania, Alexandra e TT
eu fico feliz da vida de encontrar por aqui 3 moças lindas e em festa.
Voltem sempre, bjs


Nonato Gurgel

Mme. S. disse...

extrair tanta beleza do cotidiano é para poucos, meu caro!

um cheiro com cheiro de café

S.

Jac Mon disse...

Café com fé, acertar ...errar, perdoar ... Muito bom esse café hein! Já imaginou se fosse com tapioca quentinha com côco e manteiga? Aí seria (ca)fé "bom a bessa" né?!
Beijos

eduardo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Mme. S. e Jac

Amei. As belezas do cotidiano são
voces

bjs
Nonato Gurgel