e todo caminho deu no mar

e todo caminho deu no mar
"lâmpada para os meus pés é a tua palavra"

sábado, 14 de maio de 2011

Canudos na Glória

Que importa a paisagem, a Glória, a baía, a linha do horizonte?
- O que eu vejo é o beco.

Manuel Bandeira,"Poema do Beco"


Como outras paisagens cariocas, a Glória é um espaço relevante na obra do escritor pernambucano Manuel Bandeira. Na crônica “A festa de N. S. da Glória do Oiteiro",  publicada do livro "Crônicas da Província do Brasil" (livro editado em 1937 e 2006), Bandeira registra, mais uma vez, a sua relação memorial e afetiva com este bairro do Rio. Neste texto, o autor inscreve figurações do sertanejo no bairro onde morou os escritores Mário de Andrade e Pedro Nava, através de alumbradas lembranças, como esta:  

"Lembro-me bem do largo da Glória e da praia da Lapa da minha meninice: um desenho de Debret. Desapareceu o casarão do mercado que servia de caserna e despertou o interesse público quando abrigou por algum tempo as jagunças e os jaguncinhos trazidos de Canudos .”

Um comentário:

alexandramoraes disse...

O beco é aquele pedacinho que existe entre o aqui e acolá...
Adoro Bandeira.