e todo caminho deu no mar

e todo caminho deu no mar
"lâmpada para os meus pés é a tua palavra"

sábado, 20 de agosto de 2011

alegria de Clarice

"Dar a mão a alguém sempre foi o que esperei da alegria".

A frase acima é a inscrição que li, nesta quinta-feira, no túmulo de Clarice Lispector, no cemitério do Caju - zona portuária do Rio.

Para a comunidade judaica, as flores significam festa. Por isso só encontrei pedrinhas sobre a lápide da autora que dizia ter vindo ao mundo para amar o outro, escrever e criar filhos.

O epitáfio de Clarice me fez lembrar Augusto dos Anjos. São do poeta paraibano os versos usados por ela na epígrafe de Uma Aprendizagem ou O Livro dos Prazeres: "...a mais alta expressão da dor consiste essencialmente na alegria".

3 comentários:

Valéria Lourenço disse...

Nonato, "viver é luxo".
Bj.
Valéria Lourenço

Nonato Gurgel disse...

valeu, Valéria, pelo luxo de lembrar Clarice. bj

DESAGUANDO disse...

Adorei...levei lá para o blog suas impressões. Bju com saudades