e todo caminho deu no mar

e todo caminho deu no mar
"lâmpada para os meus pés é a tua palavra"

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Frases do Ano VI









.

.

.

.
Ela era mais mística do que escritora.


A beleza dela incomodava as pessoas.


Sua liberdade foi uma conquista muito sangrenta.



Benjamim Moser, biógrafo americano de Clarice Lispector
UFRJ, Praia Vermelha, 24 Nov, 2009

2 comentários:

valeria-cardoso disse...

Para mim, Clarice é e sempre será a escritora das raízes, ruínas e profundezas do ser demasiadamente humano. Mística? Fica por conta de quem assim a fantasia. Sua prosa ruidosamente silenciosa é orquestrada por muitos sopros e é isso que a faz ser sentida como "mística", na cia. de uma beleza roubada que a estrela libertou.

Bjs com sopro de bem querer...;)

Nonato Gurgel disse...

Val, gosto muito da sua leitura clariceana: "Mística? Fica por conta de quem assim a fantasia."
Embora consiga dialogar muito bem com a porção mística de CL, acho que a sua existência se concretiza
na escritura.

bjs