e todo caminho deu no mar

e todo caminho deu no mar
"lâmpada para os meus pés é a tua palavra"

sábado, 25 de fevereiro de 2012

House II


Cético, humor oscilante, House é um médico cheio de testosterona e serotonina. Usa bengala e jeans. Dependendo da temperatura ou do clima afetivo, é capaz de enviar flores, tocar guitarra ou teclado.



Mas House atordoa. Apesar de inserido no sistema médico, ele ironiza a própria ordem hospitalar. Desafia e põe em cheque a eficácia social dos esquemas que o sistema medicinal elabora.



Testando drogas lícitas ou não, House faz do próprio corpo um laboratório. Faz diagnósticos rápidos, brilhantes. Tão brilhantes como os penetrantes olhos azuis com os quais ele provoca pacientes e familiares, desafia a equipe médica e fita o amigo Dr James Wilson.



O colega Wilson é interpretado por Robert Sean Leonard, exímio ator de Sociedade dos Poetas Mortos. Neste filme, o personagem de Robert estuda medicina. Na vida real, o sogro do ator é um médico. Tudo isso ajuda a tornar crível muito do que House diz.

2 comentários:

ALÔ! ALÔ! disse...

Alô Nonato,bom dia!A personalidade de House foi extremamente bem construida,cheia de clichês,mas,sem ser piegas.House encanta por ser a antítese,o que não deveria,por permitir ao telespectador,pelo menos na ficção,a transgressão que encanta,mas,assusta a alma humana.É ótimo!!

Nonato Gurgel disse...

Alô AlÕ Alô
seu comentário leciona, encanta

"a transgressão que encanta,mas,assusta a alma humana."