e todo caminho deu no mar

e todo caminho deu no mar
"lâmpada para os meus pés é a tua palavra"

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

House III



Um pequeno detalhe sonoro chama atenção nesta série de TV: o tom interrogativo da voz que prouncia “House” para chamar o comercial.



Sempre ouvi a palavra cafuné associada à cabeça. Cafuné como ação de afagar ou coçar levemente a cabeça de alguém. Mas quando pronunciado com tonalidade interrogativa e cheia de vigor,  “House” faz, de forma leve e certeira, um cafuné no ouvido de quem vê.



Atento às narrativas revistas, gravei algumas falas marcantes de House como “Informação salva vida” e “Eu sou o exame”. E esta que vale por uma sessão de análise: “É normal ser problemático. O ruim é romancear isso”.


7 comentários:

ALÔ! ALÔ! disse...

Alô Nonato,bom dia!Vc pegou amor mesmo neste tema ehin?
As "falas" de House que vc citou,lá vem a antítese,já são puro romance.
1ºInformação só salva vidas se vc fizer bom uso delas,do contrário...
2ºpara ser vc o exame,é bom que tenhas confiança absoluta em si mesmo e como confiança absoluta em se tratando de gente,ou personagem,não existe...
3ºÉ ruim romancear qualquer coisa,inclusive o romance.
Como disse,House,suas transgressões e contradições cutucam saletas obscuras da nossa confusa e mal acomodada vidinha,causando,aos desavisados,tremores na visão e nas certezas.Abraços,Anna Kaum.

Nonato Gurgel disse...

Pois é, Anna, peguei amor pelo tema, vou dar um tempo...
Gostei muito da leitura romanesca que vc faz das falas que recortei de House. É bom ter vc por aqui. Volte sempre.

bj

ALÔ! ALÔ! disse...

Bom dia Nonato!Frequentarei o blog com o maior prazer,mesmo que o tema continue sendo House.É verdade que a série já me apaixonou mais,hoje a montanha russa da loucura deste personagem,não tem o mesmo efeito,mas,ainda assim,produz ótimas reflexões.Abraços,Anna Kaum.

Nonato Gurgel disse...

Alô Anna

Descobri House nas férias e ainda estou digerindo a série. Conhece alguma outra deste nivel?

bj

ALÔ! ALÔ! disse...

Alô Nonato,na verdade,assim como Lost,House foi,ou ainda é,uma série única.Provavelmente vai demorar até que outra tenha impacto semelhante ao destas duas. Curta a novidade e aproveite o humor rascante e politicamente incorreto deste "médico" desconcertante!Abraços,Anna Kaum.

Alexandra Moraes disse...

o melhor do house é que ele não tem nenhum problema em ter problemas... romanceando ou romanceado, é deuma crueldade artauniana!!

Nonato Gurgel disse...

Gostei muito: "ele não tem nenhum problema em ter problemas..."

bj