e todo caminho deu no mar

e todo caminho deu no mar
"lâmpada para os meus pés é a tua palavra"

quarta-feira, 18 de abril de 2012

O trailer acima é bom, mas não dá conta do que é Heleno. Mostra apenas a beleza do lado A. No cinema, tem o lado B - o avesso atravessado por uma sífilis que mata um grande mineiro antes dos 40 anos. 

"Gilda" no auge da beleza física e sua plenitude como jogador do Botafogo numa cidade-paraíso. A direção de José H Fonseca é excelente. A trilha sonora e a opção pelo preto e branco são grandes acertos. Mas a atuação do Rodrigo Santoro desafia mais quem vê.

3 comentários:

ALÔ! ALÔ! disse...

Bom dia Nonato!Sou completamente apaixonada por futebol,desde sempre.Tudo neste universo me encanta,os noventa minutos e o duelo de estratégias,as vezes sutis,as vezes grotescas,entre os esquemas táticos,o amor incondicional das torcidas,a capacidade de mobilização que o futebol tem e,numa sociedade tão pouco afeita as utopias,ser o futebol,talvez,a última trincheira da incongruência,espelho límpido e instantaneo das mudanças,fissuras,desgraças e glórias destes dias meio estranhos que vivemos.
Personagens como Heleno e Garrincha,entretanto,apesar de terem suas trajetórias ligadas a esta arte,ultrapassaram suas fronteiras e mesmo quem não se sente próximo a este mundo,em algum momento já ouviu falar de um ou de outro.
Não vi o filme e provavelmente,aqui nesta realidade paralela onde moro,não o verei,mas conheço a história deste homem, Van Gogh das quatro linhas, cujo pincel era a bola e a tela o campo,que provou ser real a tese romantica da genialidade bestial que devora almas especiais.
Na telona,tudo é um passeio nostálgico e suave,pontilhado por suspiros e olhos marejados,na vida não é bem assim e Heleno foi amado e odiado por quem cruzou seu caminho na mesma medida,mostrou o melhor e o pior do ser humano,foi Deus e Demonio desafiando as leis da física e ocupando o mesmo espaço ao mesmo tempo.Foi Heleno de Freitas,como é comum ao futebol,símbolo de uma época e de uma sociedade e suas escolhas.Abraços,Anna Kaum.

Nonato Gurgel disse...

Anna querida, a sua leitura em torno do futebol e de Heleno é lúcida e cheia de força. Gosto principalmente disso:

"conheço a história deste homem, Van Gogh das quatro linhas, cujo pincel era a bola e a tela o campo,que provou ser real a tese romantica da genialidade bestial que devora almas especiais."

ALÔ! ALÔ! disse...

E você,Nonato,sempre gentil e atencioso!Que boa sorte seus alunos tem.
Obrigada pelo carinho,
abraços,Anna Kaum.