e todo caminho deu no mar

e todo caminho deu no mar
"lâmpada para os meus pés é a tua palavra"

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Lendo no metrô II



















"Na marcha-rancho de Sérgio Sampaio, por outro lado, não há redenção: tanto a melodia principal quanto a do estribilho são em modo menor; e se as estrofes falam em derrota, o estribilho limita-se a afirmar que o desejo do eu lírico é no sentido de romper com a derrota, não que o rompimento seja possível."
.
Paulo Henriques Brito. Eu quero é botar meu bloco na rua, de Sérgio Sampaio. Rio de Janeiro: Língua Geral, 2009. (Col. Língua Cantada).

2 comentários:

valeria-cardoso disse...

...Eu quero é botar meu bloco na rua
Brincar, botar pra gemer
Eu quero é botar meu bloco na rua
Gingar, pra dar e vender...;)

Bjs nesse coração, camarada!;)

BousToPhedron disse...

Lembro quando saiu o bloco na rua. Eu saí junto: Pierrot, Durango Kid, Arlequim, Billy the Kid. Um ca de pâncreas Zebedeu e matou um que poderia ter sido -- e foi- bala na agulha do Baleiro. Agulheiros. Sampaio sem pejo ou dor.