e todo caminho deu no mar

e todo caminho deu no mar
"lâmpada para os meus pés é a tua palavra"

sexta-feira, 19 de março de 2010

"O outono ...viver o esplendor em si"



As chuvas de verão estão chegando ao fim. O verão acaba. Ao contrário do que canta Chico Buarque em “De todas as maneiras”, meu coração só desanda a bater quando entra o outono. Quando vão o verão e seu desassossego, coração bate que é uma beleza.

A estação da colheita inicia neste domingo, 21 de março, e vai até 21 de junho. No outono os dias são mais curtos e frescos. Árvores amadurecem. Saboreiam-se os frutos. A paisagem carioca fala. Cobre-se de folhas de tamanhos e cores variados. E o aterro do Flamengo, meu Deus, é o poema concreto da Lota Soares, parceira da poeta Elisabeth Bishop: "Aqui há um excesso de cascatas..."

No outono as temperaturas caem; a percepção amplia. Preços sobem menos, estabilizam-se. A maioria dos turistas vai embora; amigos estão para chegar (oi Tetê). Na cidade leve, uma brisa sublinha o espaço e dá ritmo ao tempo. Outono no coração e no pé. Já é.

7 comentários:

Anônimo disse...

Conheço essas paisagens de perto...amo!
"Outono, estação do amor duradouro...
apesar da efemeridade das folhas, resta-nos a perpetuação das sementes.."
Akasha De Lioncourt*

Desaguando disse...

Conheço essas paisagens de perto...amo!
"Outono, estação do amor duradouro...
apesar da efemeridade das folhas, resta-nos a perpetuação das sementes.."
Akasha De Lioncourt*

Anônimo disse...

Querida Desaguando

é um luxo saber amar a paisagem e "a perpetuação das sementes"

bjs

LH disse...

Ah, eu também... O outono.
É uma paz! É ter o sol como aliado, é a natureza ser parceira do nosso amadurecimento, é viver macio.

Nonato Gurgel disse...

L H parceira da natureza

amei o o seu "viver macio"

bjs e viva o outono

João Batista de Morais Neto disse...

Falou! Joãozinho

Nonato Gurgel disse...

Valeu Joaozinho
outono de fé para ti